segunda-feira, 11 de abril de 2011

A Navegar...


Estranho ser sou.
Se lhe quero, dou.
Querendo me afastar, vou.
Como barco a vela
Lançado ao mar.
Coração sem rumo a navegar.
Que me dizes?
Não escuto, devo ficar?
Aonde vou o vento dirá.
Sempre alerta e vigilante devo estar.
Para que em pedras cegas
Não venha a naufragar.
A deriva viver, sob sol e luar.
Sonhar com um porto.
           E Navegar...


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário