segunda-feira, 18 de abril de 2011

Quem sou eu, quem sou...

Como é difícil crescer,
Se pudéssemos prever...
A infância eterna se faria
Mas a vida nos empurra para a morte
E só podemos contar com a sorte
O que agora fazer?
Tenho fé, mais não me basta.
Tenho sonhos que se desgastam.
O que tenho é esperança perdida.
De um tempo que ainda não vi.
O que agora fazer?
Procuro-me, não me acho.
Quem sou eu, quem sou...

Nenhum comentário:

Postar um comentário