terça-feira, 31 de maio de 2011

Tempo do fim.

Sua presença me basta.
O tempo avança...
Você mostra sua cara.
Face negra olhar cruel.
Braços que outrora amei,
Como algemas a me prender.
Vivo o inferno já não o céu.
Odeio-te, morte, fel.
Odeio-te, paixão cruel.
Desespero, desequilíbrio, espera.
Tudo passa... Chega à calmaria.
Já nada sinto,
Vaso oco, sentimento frágil.
Resta-me a luta, e o tempo do fim.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Vazio


Nada mais do que sinto.
Nada me serve agora,
Nem raiva, nem paz
Só o tempo que passa lento...
E um vazio profundo na alma.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Pecado.

A utilidade do tabu é só a de tornar, o que nos parece pecado, muito mais gostoso de ser praticado.

quarta-feira, 4 de maio de 2011

Rouxinol.

Não importa se aliança ou não.
Se for ou se fica.
Eu te amo, eu te quero.
Eu te abraço e te espero.
É meu luar e meu sol
Minha estrela, meu rouxinol.
E sem mim, o que farás?
O meu coração é teu lugar.
Teu amor me faz sonhar.
Sinto-me leve como o ar
A culpa é sua. Por que me conquistou?
Eu me apaixonei. Você se apaixonou.