segunda-feira, 4 de março de 2013

Águas incertas

Muitas vezes tudo que temos é um sentimento incerto.
As feridas de um coração sofrido
O medo de encontrar cada vez mais seu...
E nas águas incertas em que navego.
Coração diminuto, tão pequeno.
Menor que o nó em minha garganta.
Tudo que quero é porto seguro
Um colo distante e um olhar forte
Carinho e a certeza que tudo ficará bem.
Pois hoje acordei, mais filha do que mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário