quinta-feira, 31 de julho de 2014

Coisas que aprendi quando já era tarde demais...

Dizem que nunca é tarde para aprender, mas para mim contestadora nata há controvérsias. Tem coisas das quais deveríamos pelo menos ter noção antes de certos fatos comuns a vida. Como creio no processo de evolução humana, que em geral só é adquirido pela experiência, isso se trona difícil, sendo assim queridos leitores aconselho reflexão e autoconhecimento, pois quando as coisas fugirem do controle, resultarem em algo inesperados ou simplesmente uma merda geral, você pelo menos saberá como ira agir ou reagir aos fatos. Espero que algum amigo concorde comigo depois de ler minhas conclusões advindas de analises lógicas, claro. Se ninguém concordar, paciência. 
Alguém me disse certa vez que sou muito exigente e espero demais das pessoas e como sempre num primeiro momento, neguei até a morte e só depois de expor minha indignação pela analise alheia, parti para uma auto-reflexão. Após me atordoar por um tempo sobre isso e tentar usar certa lógica para justificar minhas insanas exigências: atenção e carinho. Cheguei à conclusão que não sou eu que exijo muito, (o que são duas coisinhas? praticamente nada) são as pessoas que andam tendo muito pouco a oferecer.  Tudo bem, admito que no quesito atenção sou meio obsessiva, cuja culpa eu restrinjo exclusivamente ao fato de ser leonina e os astros dizem que devo ser idolatrada, o que posso fazer, a culpa é das estrelas. E no quesito carinho entende-se por todos os seus desmembramentos: cafuné, massagens, presentes, sexo... Sempre achei que qualquer pessoa que goste um pouco de você e tenha um mínimo de capacidade mental e emocional consiga incluir tais itens em sua lista de atividades semanais, note que disse SEMANAIS não diárias, porque como boa cosmopolita, sei que tempo é o bem mais precioso que temos nos dias atuais. Assim depois de algumas experiências frustradas que agora sei que é devido ao meu alto padrão de exigências citado acima e muito refletir sobre como sou e o que espero em um relacionamento, cheguei a conclusões e resoluções importantes para a vida.

Primeiro que pessoas são complicadas e que por isso de hoje em diante vou me relacionar verdadeiramente somente com comida, porque é fácil separar o que é bom, saudável do que não presta ou está estragado, sempre se tem algum benefício: bem estar ou prazer, e se ainda assim me fizer mal ponho tudo pra fora e com uma boa noite de sono estou zerada. E segundo, a única coisa que espero de um homem agora é que ele diga “acabou” quando acabar; mas sinceramente mesmo restringindo minhas exigências a tão pouco sinto que ainda será complicado, devido a fatos sócio-históricos sobre os quais terei que pensar um pouco mais, mas no momento estou sem tempo, que como disse é precioso, principalmente o meu. Então para os que não são capazes nem disso, dou uma dica muito mais construtiva e criativa: aproveita o papel de trouxa e faz um origami.
THelrigle

Nenhum comentário:

Postar um comentário